segunda-feira, 19 de junho de 2017

Estou Realmente Pronto Para Ir Para o Céu?

John Piper




Nós recebemos recentemente uma pergunta anônima de um ouvinte internacional que nos enviou um e-mail de uma região rural da Nigéria. Surpreendente. É uma pergunta muito simples, mas profundamente importante para cada um de nós respondermos em relação às nossas vidas. Eis a pergunta: "Pastor John, como eu sei se estou pronto para ir para o céu?"

Eu gosto quando alguém pergunta uma questão simples e básica, pois isso me dá a oportunidade de ir direto ao ponto mais importante da Bíblia e ao ponto central da melhor notícia para o mundo inteiro, o que nós chamamos de evangelho; ou seja, que ninguém é apto para ir para o céu. Ninguém está pronto para o céu. Ninguém merece o céu. Ninguém pode esperar ir para o céu a menos que Deus se manifeste e providencie uma maneira através da graça e da misericórdia pela fé, não é através das minhas boas obras ou do meu mérito que obterei um lugar no céu. É exatamente para isto que a Bíblia foi escrita. É para isto que Jesus veio ao mundo. É para isto que existe uma história de salvação.

O trecho da Bíblia mais importante que explica isto, em minha opinião, é a carta aos Romanos escrita pelo apóstolo Paulo. Então, se você estiver procurando por um livro compacto (são 16 capítulos, mas você pode ler em uma hora) que explique esta questão, leia o livro de Romanos. Em primeiro lugar, este livro nos mostra que já sabemos a resposta. Se fôssemos honestos com a nossa consciência, todos nós saberíamos a resposta. O apóstolo Paulo diz que todo ser humano é pecador, ou seja, falhamos porque não vivemos para Deus, não honramos a Deus e não glorificarmos a Deus (Romanos 3: 23). Somos todos egoístas. Sim, nós somos. Todos nós nascemos desta maneira.

Então Paulo diz, "baseando-se na obediência à Lei,", ou seja, se você tentar manter uma lista de coisas que Deus exige, "ninguém será declarado justo diante dele" (Romanos 3: 20). Em outras palavras, você nunca será considerado justo aos olhos de Deus se você tentar o caminho da obediência à lei. Então, nos é revelada a notícia que nos tira o fôlego, de que apesar de ninguém merecer ir para o céu, de que nenhum de nós é apto para ir para o céu, de que nenhum de nós está pronto para o ir para o céu por merecimento próprio, mesmo assim Deus providenciou uma maneira para que nós, seres humanos pecadores, fôssemos aceitos como justos, bons, corretos, obedientes à lei e Deus nos aceita como justos em sua presença.

Como isso pode acontecer? Este é o grande mistério do evangelho. Como pode ser? Como é que um pecador como eu, carregado de culpa, de vergonha e de fracasso, pode ser aceito pelo Justo Juiz do universo que é perfeitamente bom e santo? Todos nós sabemos que Deus é realmente assim. Nossa consciência nos dita esta verdade. A retidão de Deus é perfeita. Como poderia eu ser aceito como um filho bom, perfeito e santo na presença de Deus? Como poderia ser?

A resposta está na Bíblia: Deus coloca o meu pecado, todo o nosso pecado, o pecado de todo aquele que confia Nele, ele coloca todo nosso pecado sobre Jesus e Ele coloca sobre nós toda a perfeição e a justiça de Jesus. Setecentos anos antes de Jesus vir ao mundo, Isaías 53:5-6 profetizou, "Ele", ou seja, o Messias que estava por vir, Jesus, "ele foi transpassado por causa das nossas transgressões,
foi esmagado por causa de nossas iniquidades... Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós." Na minha opinião, esta é a melhor notícia do mundo. De noite, quando minha consciência me acusa e eu sei que pequei, eu ouço as palavras: o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós.

Não apenas isso, mas ainda melhor, se é que pode haver algo melhor. Sim, é ainda melhor. Não apenas foram os meus pecados lançados sobre Jesus, mas a perfeição e a justiça de Jesus, Aquele que nunca teve nenhuma sombra de pecado, a retidão Dele é considerada por Deus como minha retidão. Eis 2 Corinthians 5: 21: “Deus tornou pecado por nós”, ele lançou sobre Jesus os nossos pecados e tratou Jesus como pecado, “aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos”, nós que somos muito pecadores, “nos tornássemos justiça de Deus”. Isto é o que a Bíblia chama de justificação: sermos declarados justos ou declarados inculpáveis na presença de Deus com base na justiça e na retidão de Jesus, não na nossa própria justiça e retidão. Esta é a grande troca. Este é o grande e glorioso mistério de como um pecador pode ser aceito na presença de Deus.

Então, deixe-me dizer novamente: em Jesus nós nos tornamos a justiça de Deus, em Jesus. Esta é a parte mais crucial da frase. É Nele que nos tornamos justos perante Deus. Isto significa que a retidão que nos capacita a sermos 100% aceitos por Deus não é a nossa própria retidão. É a retidão perfeita de Cristo que nunca pecou, então, o alicerce de nossa aceitação perante um Deus perfeitamente santo é um alicerce sem mácula, perfeito e inabalável quando nós permanecemos em Jesus.

A pergunta mais importante da vida é: O quê eu preciso fazer para permanecer em Cristo, a fim de que a vida e a morte de Cristo sejam contadas a meu favor? O quê eu devo fazer para que meus pecados sejam perdoados em Cristo? O quê eu preciso fazer para desfrutar a esperança do céu, da vida eterna e da alegria na presença de Deus? E a resposta bíblica e gloriosa do evangelho no Novo Testamento é esta: Você não faz absolutamente nada para obter tudo isso. Você não faz nada para provar que é bom o suficiente para merecer tudo isso. Cristo já fez tudo o que era necessário ser feito. O que nós devemos fazer é parar de fazermos com a finalidade de sermos merecedores de alguma coisa, e ao invés disso, devemos receber. Esta é a palavra chave. Recebermos Cristo que fez tudo o que era necessário ser feito como alicerce de nossa aceitação na presença de Deus. Tudo o que Deus espera que façamos agora (e Ele espera que façamos) é devido ao fato de que nós já somos 100% aceitos, e não para que sejamos 1% aceitos ou para obtermos qualquer percentagem de aceitação. Nós vivemos devido ao fato de que somos aceitos por Deus, o que acontece através de nossa fé em Cristo.

Nós recebemos Jesus como o precioso Salvador. Nós O recebemos como o perfeito Senhor. Nós o recebemos como o Tesouro de infinito valor. E a maneira em que a Bíblia se refere a isto é de que nós devemos acreditar em Jesus, crer. Isto é o que recebemos. Isto não significa meramente acreditar em fatos a respeito de Jesus, pois o diabo acredita em todos os fatos a respeito de Jesus e ele não é salvo. Crer é receber Jesus por Ele ser quem é, recebê-LO por ser o tesouro que é. Crer é o que Paulo expressa em Filipenses 3:8 quando diz: “Considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo.”

Receber Jesus é recebê-LO como este tesouro de tal valor. É claro que se a fé é aceitar Jesus com alegria desta maneira, ela nos transformará nesta vida. Se ela não nos transformar, Tiago diz que ela é uma fé morta, e uma fé morta não salva ninguém. Ela não é verdadeira. É claro que ser transformado nesta vida não significa perfeição. Isso é muito importante para as pessoas ouvirem. Pense desta maneira: quando você deposita sua confiança em Cristo, sua vida toma uma nova direção, ela não se torna nova perfeição. O rio muda de direção, mas a água deste rio ainda não é perfeitamente pura. A perfeição é Jesus. E então, quando nós morrermos ou quando Jesus voltar, nós iremos compartilhar em Sua completa perfeição.

Deixem-me concluir citando algumas passagens bíblicas para que você seja banhado em fé, passagens que demonstram como permanecer em Cristo, onde todos estes tesouros são encontrados, ou seja, crendo.


  • João 1:12, “Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus” (NVI).
  • João 3:16, “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (NVI).
  • João 3:36, “Quem crê no Filho tem a vida eterna” (NVI).
  • João 11:25,  “Disse-lhe Jesus: ‘Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá’” (NVI).
  • Atos 10:43, “Todos os profetas dão testemunho dele [de Jesus], de que todo o que nele crê recebe o perdão dos pecados mediante o seu nome” (NVI).
  • Atos 16:31, “Creia no Senhor Jesus e você será salvo” (NTLH).
  • Romans 10:9, “Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo” (NVI).
  • Mais um versículo que nos lembra que é em Cristo, em relação a Ele, que podemos estar prontos para o céu: Gálatas 3:26, “Todos vocês são filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus” (NVI).

Então, deixem-me finalizar com as palavras da própria Bíblia, em 2 Coríntios 5:20, para todas as pessoas que estão me ouvindo. Eu falo da forma mais pessoal que é possível, e estou falando em nome de Cristo: “Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus” (NVI).


©2017 Desiring God Foundation. 
www.desiringGod.org (website em inglês com alguns recursos em português).
http://www.desiringgod.org/interviews/am-i-really-ready-for-heaven (texto e áudio originais em inglês).

Traduzido com permissão.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Valorize a Deus, Magnifique a Cristo e Ame as Pessoas


John Piper

 
Meu objetivo com esta mensagem é aprofundar e intensificar sua paixão por Deus, o seu prazer na beleza suprema e no valor de Deus. Aprofundar, para que ela não seja levada pelos ventos do câncer, ou depressão, ou falência, ou divórcio ou de um filho pródigo. Intensificar, para que sua alegria em Deus seja completa, e para que a beleza suprema e o valor de Deus brilhem mais forte em sua vida.

Há algumas convicções por trás deste objetivo de aprofundar e intensificar seu prazer na beleza e no valor de Deus. Eu costumo chamar estas convicções de Hedonismo Cristão, o que penso ser simplesmente uma frase provocativa que descreve um viver cristão radical, ou seja, o viver normal do cristão. Então, você poderia dizer que meu objetivo real é que todos vocês se tornem hedonistas cristãos. E isto é verdade. Eu não conheço nenhuma outra maneira melhor de aprofundar e intensificar sua alegria em Deus do que demonstrar através da Palavra de Deus que o hedonismo cristão é verdadeiro, e incrivelmente maravilhoso. É a maneira na qual tenho tentado viver minha vida desde a idade de vinte dois anos. 

Busque o Máximo de Prazer

Eis o meu conceito de Hedonismo Cristão: o Hedonismo Cristão afirma que a intenção de Deus para todos os povos é a busca do máximo prazer, tanto em qualidade, quanto em duração.

Então, o Hedonismo Cristão afirma que o prazer da mais alta qualidade e o prazer mais duradouro é encontrado apenas em Deus, não apenas nas bênçãos que provem de Deus, mas na pessoa de Deus como o Ser de suprema beleza e supremo valor. É em Deus que cada pessoa deve buscar o máximo prazer.
  
  • Filipenses 4:4:Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: Alegrem-se!”
  • Salmos 37:4: “Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração.”
  • Salmos 32:11: “Alegrem-se no Senhor e exultem,  vocês que são justos! Cantem de alegria, todos vocês que são retos de coração!”
  • Salmos 90:14: “Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal, e todos os nossos dias cantaremos felizes.”

Este é o primeiro e maior mandamento: Ame a Deus! Regozije-se em Deus. Alegre-se em Deus. Deleite-se em Deus. Agrade-se em Deus. Ache satisfação na maior beleza e no tesouro de maior valor em todo o universo.

Este prazer que Deus exige de nós que busquemos Nele é de fato o melhor e mais duradouro.

“Na tua presença abundância de alegrias; à tua mão direita delícias perpetuamente.” Salmos 16:11

Eu costumo dizer para as pessoas, e direi para você: Se você me oferecer uma alternativa para esta alegria que seja melhor do que totalmente abundante, e mais duradoura que a eternidade, eu deixo de ser cristão para seguir o seu caminho. Não estou desonrando ao meu Senhor Jesus. Eu creio que Ele sorri ao me ouvir dizer isto. Pois é uma maneira convincente de dizer: É impossível que você me ofereça qualquer coisa que seja melhor do que a alegria que provem de Cristo, você não pode nem mesmo imaginar algo que seja melhor. Alegria que seja melhor do que totalmente abundante, ou mais duradoura que a eternidade, é inconcebível. É uma contradição. Não existe nem em pensamento, nem em realidade.

Deus nos criou para desfrutarmos a mais completa e duradoura alegria. Na presença de Deus há abundância de alegrias, à mão direita de Deus há delícias perpetuamente. Jesus morreu para nos restaurar esta alegria. Pois nós a perdemos devido ao pecado, ao preferirmos outras coisas ao invés de Deus.

Nós Não Merecemos 

O Hedonismo Cristão afirma que ninguém merece essa alegria. Alegria não é o estado natural de pecadores culpados. E nós somos pecadores culpados. Nós merecemos a destruição, não o prazer. Mas Deus, em sua grande misericórdia, enviou Seu Filho ao mundo e “fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós” (Isaías 53:6 NVI). “Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne” (Romanos 8:3 ARC). De quem eram os pecados que Deus condenou na carne? Nossos. Jesus não tinha pecado algum. Em qual carne foram os nossos pecados condenados? Na carne de Jesus. Não em nossa carne. Nós fomos poupados. Para sempre.Todo o que nele crê recebe o perdão dos pecados mediante o seu nome” (Atos 10:43 NVI).

Mas o perdão não é o objetivo principal do evangelho. O perdão é sempre um meio para obter algo mais importante. Se você pecar contra sua esposa, e ofendê-la com suas palavras, você precisa de perdão. Mas o perdão não é o objetivo em si. Você busca o perdão porque você deseja sua esposa. Você deseja desfrutar a presença de sua esposa sem o obstáculo gélido da ofensa. 

O mesmo acontece com Deus. Se formos realmente nascidos de novo, e nossos pecados perdoados graças a Jesus, nosso objetivo não é o perdão: Deus é o nosso objetivo, Sua presença sorridente sem o obstáculo da ofensa. O perdão é precioso porque remove os obstáculos que nos separam de Deus. “Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus” (1 Pedro 3:18 NVI). Em cuja presença há abundância de alegrias, e em cuja mão direita há delícias perpetuamente (Salmos 16:11 NVI). Este é o objetivo do evangelho.

Então, o Hedonismo Cristão afirma que Deus nos criou para desfrutarmos prazer abundante e duradouro, e que Ele enviou Seu Filho para restaurar este prazer para pessoas que não merecem essa alegria. E afirma também que essa alegria é encontrada apenas na beleza e no valor de Deus através de Jesus Cristo. 

Alegria não é Opcional

Finalmente, o Hedonismo Cristão afirma duas coisas surpreendentes. Ele afirma, que se você abandonar sua busca pelo prazer supremo em Deus (1) você não será capaz de glorificar a Deus em seu coração, e (2) você não será capaz de amar as pessoas. Em outras palavras, a alegria em Deus é essencial para glorificarmos a Deus e para amarmos as pessoas. 

Se quisermos contextualizar este tópico em relação à generosidade, podemos dizer que se você não buscar e encontrar sua alegria suprema em Deus através de Cristo, você não será capaz de ser generoso com seus recursos e ter um coração que glorifica a Deus e ama as pessoas. 

Agora você entende porque os Hedonistas Cristãos levam a sério essa alegria. Sem a alegria em Deus, como beleza e valor supremo, nossos corações não glorificam a Deus, e não têm o poder ou substância para amar as pessoas. Deus não será glorificado através de qualquer outro tipo de generosidade que demonstrarmos, a não ser que Ele seja a nossa alegria. Se Deus não for a nossa alegria, não importa que as pessoas sejam beneficiárias de nossa generosidade, pois Ele não receberá este tipo de generosidade como um ato de amor que flui de nossos corações. 

Estas são afirmativas totalmente radicais. Encontrar sua alegria suprema em Deus (1) é essencial para que você possa glorificá-LO, e (2) é essencial para que você possa amar as pessoas...

  1. Por que a alegria no Senhor é essencial a fim de glorificarmos a Deus? Porque Deus é mais glorificado através de nós quando nossa satisfação maior é em Deus, especialmente em tempos de sofrimento. É precisamente ao estarmos satisfeitos em Deus que Ele é glorificado em nós.
  2. Por que a alegria no Senhor é essencial a fim de amarmos as pessoas? Porque as pessoas são mais amadas por nós quando nossa alegria no Senhor transborda em generosidade, com a finalidade de que estas pessoas participem de nossa alegria, especialmente quando transbordamos em tempos de sofrimento.

©2017 Desiring God Foundation. 
www.desiringGod.org (website em inglês com alguns recursos em português).
http://www.desiringgod.org/messages/treasure-god-magnify-christ-love-people (a tradução acima é um trecho da mensagem cujo texto e vídeo originais em inglês, na íntegra, encontram-se nesta página da web).

Traduzido com permissão.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

O Alicerce de Nossa Certeza



John Piper   


 
“Deus os escolheu para serem salvos mediante a obra santificadora do Espírito.” (2 Tessalonicenses 2:13 NVI)

Dezenas de versículos bíblicos referem-se à nossa salvação final (contudo, não à nossa eleição) como condicionada a uma transformação do coração e de vida. O questionamento que surge, então, é o seguinte: Como posso ter certeza que eu vou perseverar na fé e em santidade necessárias para herdar a vida eterna?

A resposta é que esta certeza está alicerçada em nossa eleição (2 Pedro 1:10). A eleição divina é a garantia de que Deus irá se encarregar de completar, através da graça santificadora, a obra que foi iniciada através da graça na eleição. 

Este é o significado da nova aliança: Deus não apenas ordena obediência. Ele providencia obediência. “O Senhor, o seu Deus, dará um coração fiel a vocês e aos seus descendentes, para que o amem de todo o coração e de toda a alma e vivam” (Deuteronômio 30:6 NVI). “Porei o meu Espírito em vocês e os levarei a agirem segundo os meus decretos” (Ezequiel 36:27 NIV, 11:20).

A eleição assegura que “aos que [Deus] justificou, também glorificou” (Romanos 8:30 NVI), de forma que todas as condições exigidas para a glorificação serão cumpridas pelo poder da graça de Deus. 

A eleição é o alicerce de nossa certeza, pois, como a salvação é compromisso de Deus, também é compromisso de Deus providenciar tudo o que é necessário para a salvação.  

©2017 Desiring God Foundation. 
www.desiringGod.org (website em inglês com alguns recursos em português).
http://www.desiringgod.org/articles/the-bedrock-of-your-assurance (texto original em inglês).

Traduzido com permissão.